Skip to main content

SORRI-PARAUAPEBAS

Em 1994, um membro do Conselho Nacional da SORRI-BRASIL, Flávio Corrêa Próspero, durante prestação de serviços à Companhia Vale do Rio Doce, em Parauapebas, fez contato com o Dr. Fernando Dutra, funcionário da CVRD e colaborador do Grupo de Ação Contra a Hanseníase - GAHA.

Ao entrar em contato com o trabalho daquele grupo, Flávio apresentou o trabalho que a SORRI-BRASIL já vinha desenvolvendo há 18 anos junto às pessoas com deficiência e, em especial, junto àquelas sequeladas pela hanseníase.

Em meados daquele ano, Dr. Fernando esteve em São Paulo participando de um seminário, onde conheceu a Superintendente Geral da SORRI-BRASIL, Carmen Leite Ribeiro Bueno, que recebeu convite para ir a Parauapebas.

Posteriormente, com o apoio da Companhia Vale do Rio Doce, que ofertou transporte e hospedagem, Carmen esteve em nosso município, em setembro daquele mesmo ano, quando ministrou várias palestras à comunidade e prestou orientações técnicas ao GAHA.

Na oportunidade, 3 técnicos foram escolhidos para participar de 3 cursos de reabilitação profissional, gerenciamento de entidades e políticas públicas de atenção à saúde das pessoas com deficiência, realizados em Natal (RN), com apoio da Coordenadoria Nacional pela Integração das Pessoas Portadoras de Deficiência - CORDE.

Esses profissionais receberam, ao final dos cursos, assessoria técnica da SORRI-BRASIL, para a elaboração de um projeto de implantação de um centro de reabilitação profissional e para o processo de fundação da SORRI-PARAUAPEBAS.

No ano seguinte os trabalhos foram iniciados, buscando-se, em primeiro plano, os pontos de apoio na comunidade. Apoio esse encontrado, prioritariamente, na Secretaria Municipal de Educação, através da Educação Especial e na Escola Municipal Chico Mendes, com participação da direção, supervisores e professores das turmas de Educação Especial e das turmas regulares, bem como de familiares dos alunos com deficiência.

Em seguida, foi realizada uma reunião onde foi formada uma comissão para iniciar um trabalho de sensibilização, conscientização e mobilização da comunidade, quanto à necessidade de se criar uma organização que atendesse as pessoas com deficiência no município. Foram realizadas várias reuniões em associações, escolas e igrejas, utilizando-se do teatro como instrumento pedagógico, culminando com a Assembléia de Fundação da SORRI-PARAUAPEBAS, em 9 de dezembro de 1995.

A sede provisória funcionou, inicialmente, numa sala da Escola Municipal Chico Mendes II. Em seguida, mudou-se para um prédio na Rua 'D', Bairro Cidade Nova, onde funcionou cerca de 8 meses, sendo necessário mudar para um outro local situado na Rua 'B', também no Bairro Cidade Nova. O pagamento de aluguel desses imóveis foi realizado com o apoio da Fundação de Assistência Social e Cultural de Parauapebas - FASC. Hoje, Secretaria Municipal de Assistência Social de Parauapebas - SEMAS.

A SORRI-PARAUAPEBAS direcionou seus esforços para a regularização e a aquisição de infra-estrutura, onde pudesse atender seus usuários, observando as normas e filosofia do Sistema SORRI.

No ano de 1996, após várias solicitações, a Prefeitura Municipal fez a doação de um terreno localizado à Avenida Beira Rio, nas proximidades da Escola Paulo Fonteles de Lima - Bairro Rio Verde, onde, atualmente, está instalada a sede definitiva da organização.

Tendo cunho filantrópico, a SORRI-PARAUAPEBAS firmou, entre os anos de 1997 e 2001, diversos convênios com entidades, associações, profissionais liberais, órgãos estaduais, federais, políticos, e outros, sempre com o objetivo de alavancar recursos e formar parcerias para o bom andamento das atividades e dos projetos, visando ao desenvolvimento estrutural e funcional da organização.

Nesse período, a SORRI-PARAUAPEBAS recebeu uma importante doação de madeira do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis - IBAMA, material esse usado na construção do primeiro prédio da organização.

Foi, então, que através da colaboração voluntária de alguns profissionais liberais, a SORRI-PARAUAPEBAS passou a ministrar oficinas profissionalizantes de corte e costura, artesanato e serigrafia. Mais tarde e, mediante campanhas de mobilização junto à comunidade local, foi construído mais um bloco com três salas e dois banheiros.

A partir de então, no ano de 2002, foi firmado um convênio com a Prefeitura Municipal de Parauapebas, para liberação de recursos para manutenção e funcionamento das atividades desenvolvidas pelas SORRI-PARAUAPEBAS. Através do convênio, foi possível contratar instrutores para as oficinas profissionalizantes, pessoal de apoio e equipe técnica, possibilitando a efetivação de uma avaliação profissional e de uma capacitação profissional com melhores condições técnicas e mais contínuas.

Em 2003, mediante termo aditivo ao Convênio firmado com a Prefeitura Municipal, foi construído um segundo bloco, onde funcionam a secretaria, duas oficinas profissionalizantes de teatro e dança, artesanato e mais uma sala de vídeo.